Revista Caras Esquerdinhos no Palácio de Belém

Por estes dias começamos  a reconhecer os participantes do concurso  Casa da Revolução, organizado pelos queridos  do Bloco  e patrocinada pela nossa amiguinha TSF. Algumas caras são sempre as mesmas ( as dos manos   Anonymous, por exemplo, elegantérrimos) , o que nos faz criar laços afectivos com os personagens.

Os concorrentes são um bocado monótonos  ao nível do vestir e não sei quê. Eles de rabo de cavalo ou boina, chanatas   e mochila; elas com aquele ar sofrido de quem não conseguiu fazer a omeleta, calças largoiças compridas  ( a bela perna é neoliberal) e também chanatas ( o salto alto realça a bela e perna e já  se sabe  e não sei quê).   O tom geral fica  a meio de um jantar de amigos  do Chapitô com um convívio do RDA69.

Amiguinhos, o povo está  convosco, mas agora temos  de ir dormir porque amanhã há o concurso de pesca  da junta de freguesia de Santo Estevão.

FNV

Anúncios

8 thoughts on “Revista Caras Esquerdinhos no Palácio de Belém

  1. António P. Neto diz:

    Não devemos andar a ver o mesmo reality show. O que eu vi mostrava uma mulher de 50 anos a chorar baba e ranho porque não sabe o que há-de fazer à vida, tendo dois filhos no ensino superior, e que como milhares de outros portugueses utilizava o subsídio de “natal” e de “férias” para fazer face a essas despesas. Ah, e também não usava chanatas (que desse para ver) nem calças largueironas. Devia ser da idade.

  2. João. diz:

    Já eu gostei de ver o programa de austeridade e ajustamento através do parque automóvel dos conselheiros…vai ali uma crise do caraças.

  3. caramelo diz:

    Continua o ciclo da Politica Segundo Lineu. As tipas do Bloco de calças compridas e chanatas, porque mostrar a perna é contra-revolucionário (esqueceste-te de dizer que elas não se depilam, é da tradição e eu sei que respeitas a tradição), e que fazem omeletas e é um pau, e o povo legitimo que tem mais que fazer porque tem de acordar cedo porque amanhã vai à pesca a santo estevão. É o negativo dos neo-realistas mais básicos dos anos quarenta. O Carlos de Oliveira era capaz de se rir. Se encontrasses uma dessas tipas de saltos altos (numa manif não é boa ideia) ou um deles ou uma delas à pesca, podia dar-te erro de sistema.

  4. caramelo diz:

    Ná, não tens tanta pilhéria quanto pensas, mas é esse teu esforço (e só isso) esse neo-realismo blasé, que te distingue de um tal Rui Crul Tabosa, que fala muito sério em “lixo social”

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: