A Laura e Eu.

Queridos amigos,

No “Ser e o Nada”, Juan Paul Sarte afirma que estar vivo é o contrário de estar morto e congratulo-me, caros portugueses, por vos encontrar vivos graças a Deus e aos esforços do senhor ministro da saúde nesta importante quadra festiva. Se não for esse o caso lamento que não tenhais oportunidade de ler esta mensagem, mas recordo-vos que não procedi à correcção do imposto sucessório dado o respeito que nutro pelas vossas dificuldades.

Escrevo-vos em nome pessoal e da segunda dama após uma ceia modesta, pois vivemos sem recurso ao crédito embora as taxas de juro estejam a descer por efeito da contenção salarial. Aqui em Massamá ainda há gente a comprar bacalhau, e no Mini Preço esgotaram as caixas de Ferrero Rocher: podia ser pior!

Em verdade vos digo que tudo muda. O que nos parecia insuportável há um ano atrás torna-se belo e precioso doze meses depois. Por isso vos peço, no fim deste ano tão difícil, que procurem a força de quem sabe que os sacrifícios que fazemos hoje são os bons tempos dos dias de amanhã, e que as difíceis decisões que estamos a tomar serão muito mais fáceis no próximo Natal.

A Laura e eu desejamos a todos umas Festas Felizes.

Pedro.

Luis M. Jorge

12 thoughts on “A Laura e Eu.

  1. Tem piada, caro Luís, mas não tanta como o original (e também não é tão revoltante)

    Abraço e boas entradas (espero que sejam aquelas que mereça).

  2. henedina diz:

    “Juan” está bem caricaturado. O resto está longe do original…

  3. Não é fácil caricaturar uma caricatura, Luís.

  4. Mas é interessante tentar perceber porquê, para além da falta de jeito. Há algo de indefinível no homem.

    • henedina diz:

      Foi um estado de alma. Esta msn não deve merecer tanto gasto mais importante é estarem contentes por cumprirem o deficit, empobrecendo o país, o estado e os portugueses. “Se escrever no fb não beba”. Acho que ele tinha bebido coitado, a msn não valorizo. Eu tb escrevo mais quando não durmo (é este o caso) e tenho fome (tb). No caso dele…deve ter bebido…

    • Pois, isso não sei; porventura, tem mesmo necessidade de se sentir objecto de apreço. Conheci gente da pior espécie, capaz de quase tudo, que sentia necessidade de ser apreciada, elogiada, admirada. Os caminhos para a alma humana são misteriosos e, em muitos casos, tortuosos. (Tens de pedir a colaboração do teu colega de blogue psicólogo. ;-))

  5. João. diz:

    «Nós não somos duas pessoas, eu sou primeiro-ministro e também sou cidadão», disse Passos Coelho (http://www.tvi24.iol.pt/503/politica/passos-passos-coelho-facebook-natal/1405575-4072.html)

    Enfim, quando um primeiro ministro tem que desmentir que ele e ele mesmo não são duas pessoas mas só uma vê-se o sucesso das mensagens de Natal.

    E gosto do subentendido: Nós não somos duas pessoas, nós somos só uma…

  6. henedina diz:

    Venho aqui desejar-lhe um ano de 2013…como merece.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: