Minimalia ( XXXVIII)

Colecciono colonialistas e os seus detractores, os  teóricos pós-coloniais. Aprendi que a  colonização é um estado mental e independente de  épocas: faço-te à minha maneira e só existes na medida dessa vontade.

É por isso que a revolta re-inicia sempre: a identidade tem de ter um autor.

FNV

Com as etiquetas

2 thoughts on “Minimalia ( XXXVIII)

  1. balde-de-cal diz:

    Portugal, por razões de estrutura mental, será sempre uma colónia de alguém:
    pérfida Albion, UE, Brasil, Angola.
    espera que a árvore das patacas lhe meta o dinheiro na algibeira.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: