Desliguei de Jesus naquela segunda mão de uma taça em que perdíamos dois a zero em casa com o FCP e ele mascava pastilha elástica sossegado no banco, porque tinha feito umas contas quaisquer e pensava que  não havia azar  (e quando não quis dar o braço a torcer no caso Roberto). Não fez nehuma substituição, lá ficou , sentado. Um treinador do Benfica, nem que o jogo fosse a feijões, teria feito entrar  até o rato Mickey.  Escrevo há muito que o meu sonho para o Benfica é um presidente nado e criado no clube e  um treinador da casa. Adiante.

Deixemos as tácticas. Dise a um comentador, aqui no blogue, que o paradoxo (altera o sistema quando jogamos  com o FCP )  seria um problema. Foi. Já escrevi um cento de vezes que não se pode ter uma  equipa  total sem laterais. Andamos a inventar há anos e agora o esgotamento de Maxi tornou a situação caricata ( dois laterais esquerdos não se equiparam para o jogo do ano, está tudo dito). O FCP quis ganhar e ganhou. Chapeau. Vamos  à cosa mentale.

Vi, estupefacto, Jesus passar  a semana contente por estar em três frentes. Um treinador do Benfica só fica contente  quando ganha três competições. Agora atirou a toalha ao chão. Primeiro, parece-lhe liquído que o FCP ganha em casa do terceiro classificado ( não entendo…),  segundo,  diz que a derrota de ontem abalou a equipa. Um treinador do Benfica  diria que agora vamos com tudo para a final da UEFA. Não lhe levo a mal. É sócio do Sporting  desde  pequenino. Por que razão haveria de sentir o clube da mesma forma que sente o seu currículo?

Jesus fica para o ano? Bom estímulo para Rui Faria, mais um novato  que se prepara para levar a melhor ao mestre das tácticas que é incapaz de construir um plantel  equilibrado. A menos  que haja Paços…

FNV

38 thoughts on “

  1. palavrossavrvs diz:

    Rui Faria não é aquele adjunto de Mourinho que nunca treinou uma equipa? Acho um erro o Filipe atirar-se ao sportinguismo do Jesus, depois de tanta dedicação, com erros e teimosias, mas que fez do Sport Lisboa e Benfica o que passou décadas sem ser.

    Antes de Jesus? SLB repleto de mediocridade directiva, mediania desportiva, perdulário em transferências e aquisições. Depois de Jesus, uma indústria de esperança de títulos, ainda que os perca, um de cada vez.

    Quarta-feira, Jesus será levantado em ombros e atirado ao ar como Guardiola, verás

    • fnvv diz:

      “fez do Sport Lisboa e Benfica o que passou décadas sem ser”: O Trappattoni?
      “Rui Faria não é aquele adjunto de Mourinho que nunca treinou uma equipa”? É. Está no FCP a partir de 30 Maio.

  2. […] E no rescaldo da derrota, já há mãos postas, preces, promessas e joelhos no chão pelo Paços. […]

  3. comentador futeboleiro de sofá, analisador de "psiques alheias", gajo com muito tempo livre. diz:

    eu acho que o problema de jesus não é ser sportinguista, mas sim ter uma adoração secreta pelo fcp. só assim se explica o “respeito” com que, nestes 4 anos, apesar de umas quantas vitórias (3 acho eu), encarou todos os jogos com o fcp.

    admiração e respeito, neste contexto valem o mesmo que adulação e medo.

    jesus percebe da coisa como poucos mas tem uma personalidade fraca. é um líder terrível. como grita e gesticula muito passa a ideia de ser muito confiante e seguro de si. mas é o oposto. encaixava bem na estrutura do fcp, onde o treinador tem apenas de colocar os pinos nos lugares certos para ganhar títulos internos e se perceber da coisa até pode ter sucesso internacional.

    acredito que hoje jesus deve estar arrependido por não ter ido para o fcp.

    • gandavo diz:

      ainda o veremos lá… e não me admirava se fosse já para o ano. Esperemos 1 semana.

    • Pimba diz:

      Mais arrependido disso estou EU… e (infelizmente) só uma MINORIA de benfiquistas! Por isso aquela aventesma continua no banco!
      Em 4 épocas tem só… 1 campeonato e 3 Taças… mas da Liga…
      média de 1 título por época!!!

      Mas no Benfica… se alguém ganha Campeonato e Taça é logo corrido…

  4. António diz:

    Um treinador do Benfica não ajoelha. Perde. Mas não ajoelha. Vai-te…

  5. António diz:

    E já agora: vejma bem a cor desta camisola do Vitória, e façam os vossos ptognósticos. http://vitoriasc.pt/loja_detalhe.php?id_produto=289

  6. João. diz:

    Para mim só há que assinalar do Mexia que associava a vitória do benfica no campeonato ao aumento do pib. PQP, só faltava isto, trazer a lógica destes cães para o futebol. Deixem o futebol em paz.

  7. Gustavo Santos diz:

    Voltei ao Dragão passado muito tempo. Fiz o caminho até ao estádio como antigamente a caminho das Antas: pela Faculdade de Economia, Paranhos (será que há lugar em frente ao Vidal Pinheiro?…), andar às voltas no quarteirão da PJ à procura de estacionamento e parar para os lados da rua de Costa Cabral. Sozinho, a ouvir rádio, com a solidão e a saudade típicas daqueles a quem nada falta.
    Três apontamentos:
    – futebol é no estádio: na televisão não se percebe nada e no estádio percebe-se tudo;
    – já não sei lidar com a alegria explosiva do futebol: quando era miudo sabia exatamente;
    – faz falta o Benfica assustador.

    • João. diz:

      Fal falta menos porcaria à volta do jogo. Essa ideia do assustador não faz sentido senão por causa da onda tripeira que durante muito tempo corrempeu o futebol com uma máfia do medo e da intinidação. É preciso é acabar com isso. Por mim, espero ainda que o porto perca. Eu sei que nem os diabos nem a juve nem os dragões são santos e as claques são todas iguais mas o porto firmou essa cultura trauliteira que está na hora de começar a ser derrotada. Força Paços.

      • fnvv diz:

        apoiado!

      • Gustavo Santos diz:

        Vamos lá ver: quando eu digo assustador, eu quero dizer um Benfica que faça ao Porto aquilo que o Porto fez ontem ao Benfica. Ou já se esqueçeu do onze do Benfica? Ou da entrada do Rodrick? Por oposição às entradas do Kleber e Liedson…

      • fnvv diz:

        tb apoiado!

      • Jorg diz:

        O verbo “Corromper” é recorrente cada vez que se esvaziam as farroncas – e foi (só) o que aconteceu na semana passada – o campeonato ainda não está decidido – com um pico delicioso no sábado á noite.
        Ou seja, foi só isso – o poder gozar á grande, mas mesmo á grande, com a tralha ressabiada lisboeta que tinha já andado a festejar desde a palhaçada e roubalheira desavergonhada contra o ‘Sportem’ – já para não falar da outra do “João… pode vir o João” – e a reservar o ‘Marquês’. Ou seja, posso dizer “vão para lá agora!!”
        Ainda nada se ganhou – mas mesmo que se perca contra o Paços de Ferreira (eu acho que ainda pode correr muito mal), há coisas que já não nos tiram – a “schadenfreude” de, no resto de fim-de-semana, ver as trombas d’enterro da tralha da SiC que andou a hossanar e a dar ‘tempo d’antena’ a toda lampionada como se tivessem andado a trilhar os caminhos marítímos para a Lua, as primeiras páginas da trombetas lampiónicas versão ‘dourar a pílula’ e feitas com com aquele ânimo com que os comunistas votavam no Soares para presidente [tapem a foto, ponham a cruz] e toda aquela corja de ‘paineleiros’ dos média que só descobrem futebol a sério quando “instruídos” – e, pegando na “corrupção, já agora pagos, que aquilo da “mama” da pneumática gestão, campiã incontestada dos passivos e de marqueteiros para papalvos – pelos Arcanjos, Delgados e associados e assalariados do pneumático “hoteleiro” d’Alverca.

      • fnvv diz:

        Deixe-se de conversa de roubalheiras , isto não é um fórum de alzheimeriados: ou julga que nos esquecemos por que motivo o Pintinho estatuiu que só os estúpidos falam de arbitragem? Julga que me esqueci do cesto de penalties do fim da primeira volta?
        Bananas.

      • Jorg diz:

        Deixar de conversa de “roubalheiras”? Olhe se aquela bola do James tem entrado – não se falava de outra coisa! E “ós despois”, a toda hora se debita moral sobre “ondas tripeiras” que “corrompem” -ainda que entenda a falta d’outro assunto de tanta gente carente . , e quando vemos o metralha Capela – que foi, perante a pouca vergonha, oficialmente “hossanado” pelo ‘Jasus’ e pela tralha da pneumática gestão lampiónica – o Arcanjo, a Santanete, a trombeta da Queimada, a SiC .. – temos de ver tudo como virtualidades da coisa….

      • fnvv diz:

        recordo Pinto da Costa: ” Só os estúpidos falam de arbitragem”.
        É simples e cristalino…

    • Hoje, por razões de trabalho, também fiz o percurso entre Vidal Pinheiro (esse descampado onde ainda há 13 anos se comemoravam títulos) e as Antas, mas felizmente com pouco gente na rua. Há domingos chatos, e então depois de ontem…

  8. André diz:

    A contrário do SLB e universo afecto (ver certa campanha do DN, que há duas semanas se referia ao Benfica como campeão de 2012/2013), no FCP sabe-se que não está nada ganho até ao apito final, ou até ser matematicamente impossível. Contra o Paços não sei como ficará o jogo no fim, mas sei que a equipa do FCP entrará em campo com tudo, comerá a relva e preparará o jogo com adequada seriedade. Se o FCP não for campeão, fica esta lição de desportivismo (não dada pelo FCP, mas pelas circunstâncias, porque podia acontecer frente a outro clube). Quem já fez deporto sabe isto: os vencedores antecipados são frequentes vezes pasto fértil para o ridículo.

    • fnvv diz:

      sábias palavras. lembrei-me delas ao ver ontem a festa na Invicta,mas n SLB não vi ninguém fazer a festa antecipadamente ( excepto a da passagem à final da UEFA, ou é proibido?) .

      • gandavo diz:

        eu vi. No Funchal, no fim do “jogo do título”.

      • fnvv diz:

        Talvez, eu só vi satisfação pela reviravolta no resultado, mas aceito.

      • Ricardo Ferreira Pinto diz:

        Não viu festa antecipada? Não, só reservaram a estátua do Marquês com letras a vermelho. No Sábado à noite, passei pela Av. dos Aliados de carro – estavam meia-dúzia de gatos pingados.
        Comparativamente, os benfiquistas fizeram a festa muito mais cedo. O presidente do Benfica estava tão descansado que foi para o Brasil no dia do Benfica – Estoril.

      • fnvv diz:

        ah…meia dúzia de idiotas são o Benfica. Por essa lógica, a meia dúzia de idotas que espancou os jornalistas da Antena 1 são o FCP.
        Vai longe.

      • A lógica é a sua. Meia-dúzia de gatos pingados na Av. Aliados é o FC Porto a fazer a festa antecipada. Também vai longe.

      • fnvv diz:

        Isto não é uma bancada nem um café, tem de se esforçar.
        Falei de festa na Invicta ( um estádio em festa) , não falei de avenida.

      • André diz:

        Salvo a minha incapacidade para abarcar toda a cobertura jornalística dos festejos, o que vi foram pessoas festejando uma vitória dramática contra o grande rival, e fazendo fé nas entrevistas avulsas extraídas no local. Admito que possa aqui haver um erro de paralaxe da minha parte, mas não é decerto comparável ao que se fez no Marquês de Pombal, nem aos festejos no final do jogo com o Marítimo.

      • Então não? «Festa na invicta» é mesmo uma clara referência ao estádio no fim do jogo.

    • João. diz:

      Isto também é verdade. Como pouco me interessa quem ganhe sempre dará um gostinho o melão lampião se perderem, melão esse que todos os lisboetas poderão ver escrito no Marquês. Aliás já se diz que o Marquês vai soltar o leão se não lhe pagarem as reservas que fizeram.

      Em todo o caso não me posso rir de ninguém. O meu Sporting nem se apurou para a liga europa.

  9. Gustavo Santos diz:

    Acho também interessante que a qualidade da arbitragem (assumida por todos como impecável) não tenha de ver com o árbitro:
    se a bola do James tem entrado (após uma saída em fora de jogo) estariamos hoje numa guerra civil e “A Bola” teria 6 páginas com fotos da análise da jogada (com riscos amarelos, vermelhos e análises 3D no momento do passe).

    Como o James falhou, o árbitro esteve bem e já há verdade desportiva.

    Não são os estúpidos que falam de arbitragem: são os que perdem.

    • fnvv diz:

      Isso é para quem? Quem é que aqui falou da “bola do James”?

    • Gustavo Santos diz:

      É uma constatação de uma realidade: a qualidade da arbitragem, que ninguém discutiu neste jogo, é uma discussão que só interessa como alibi de quem perde.

      Este lance do James prova o quanto a análise mediática de uma arbitragem está muito mais relacionada com as circusntâncias do jogo do que com a actuação do árbitro propriamente dita.
      Em qualquer jogo é quem perde que fala da arbitragem. Por exemplo: no caso da
      análise do SLB vs SCP quem perdeu/falou foi o FCP.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: