Blow up

Celso Cruzeiro lança ainda “um grito de amargura, desconforto e revolta perante o modo como a Relação decidiu confirmar a decisão de primeira instância”, afirmando que os juízes desembargadores “não respeitaram” a matéria de facto dada como provada, que “foi claramente falseada em interpretações subjetivas e inadmissíveis“.

Muitas “interpretações subjectivas”  e com  um filme em que o homem, com a neta  ao colo,  mata o ex-genro ( e pai da neta). O que me fascina  é pensar como Celso Cruzeiro classificaria as interpretações   se não houvesse filme.

FNV

Anúncios

2 thoughts on “Blow up

  1. floribundus diz:

    os contribuintes continuam a viver no ‘sepulcro democrático’.
    onde ‘o peixe grande engole o pequeno’

  2. XisPto diz:

    Da mesma forma. Os juristas têm esse “defeito profissional” de conseguirem ignorar “a realidade” sem grandes problemas conceptuais nem especulações antonianas sobre o granulado do suporte fílmico. Uma grande lata também ajuda, muito útil nestes tempos de mediatização intensa, o que nos brinda com um naipe de personagens deliciosos, dos operacionais à crítica especializada.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: