Contratempo ( XXI)

O que há de mais enevoado nesta história: violar a mãe ou namorar uma mulher  de 81 anos? Deixemos a ressonância sofocliana e freudiana em paz. Quando um miúdo de hoje vê a mãe nua pela primeira vez, já viu  centenas de briefings de bacantes na net e na TV.

A combinação é o que nos atrai. Podemos imaginar o simples acaso, um fetiche, a redenção. Podemos dedicar à mãe o comentário de Homero , que as crianças cegas  fizeram a Mummius depois da queda de Corinto: Felizes aqueles que estão no túmulo.

FNV

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: