Elites da Lusitânia.

Quando o convidaram para o Governo Rui Machete ornamentava trinta organismos que incluíam bancos, sociedades várias, fundações, comissões e um escritório de advogados. Mas o seu impressionante currículo profissional não lhe ensinou três coisas: a mentir airosamente, a calar a boca e a memorizar os rudimentos da separação de poderes.

Machete pertence ao petit noyeau das elites políticas que se movimentam nos negócios. Não se representa apenas a si próprio, nem representa apenas, oficialmente, o país. O seu descuido é simbólico, as suas mentiras são arquetípicas, as desculpas que pede ou deixa de pedir servem-nos de exemplo e ilustração.

Irá sobreviver, se os amigos de Birre e da Comporta o permitirem, e aprenderemos com ele de que qualidades é feita a nossa meritocracia.

Luis M. Jorge

 

Anúncios

9 thoughts on “Elites da Lusitânia.

  1. XisPto diz:

    Na mouche! Arquétipo e no entanto surpreendente ter sido convidado. Politicamente, para o desaconselhar bastaria a sua ligação ao BPN.

  2. Nuno Vasto diz:

    Caro Luis Jorge, a analise tem toda a logica mas parte de um pressuposto pouco seguro, o de que o Rui Machete não está a ficar gagá

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: