Boa notícia mas

Défice 40% abaixo do limite imposto pela troika. Como não percebo nada de economia, e devemos  sempre  evitar tristes figuras,  fico-me pelo estatuto de qualquer cidadão: o brutal aperto produziu pelo menos  um resultado. É bom  porque as pessoas continuam  a ter prestaçoes sociais ( e porque não pertenço  à comandita  de assalto à São Caetano e S.Bento  nem tenho  contas para ajustar)

Sobra uma simples pergunta: o que vai acontecer quando já não houver mais receita do lado fiscal?

FNV

Anúncios

13 thoughts on “Boa notícia mas

  1. joshua diz:

    Sem mas, meu caro. Sem mas. O paradigma socializate ou chupcializante está esgotado. Agora, os portugueses aprenderão a caminhar por suas próprias pernas e não pelo monstro inaugurado por Soares e agigantado por Cavaco.

  2. caramelo diz:

    Filipe, eu faço parte da comandita com contas a ajustar. Dizes que as pessoas continuam a ter prestações sociais? Mas se as pensões descem, o RSI desce e é cada vez para menos pessoas, os subsídios de desemprego idem, etc, Queres tu dizer que é bom não sermos a etiópia?

  3. Eu devo pertencer à comandita: parece que afinal havia folga para manter as pensões de sobrevivência, certo? E faltam aí as centenas de milhões do BANIF.

  4. henrique pereira dos santos diz:

    Filipe, é exactamente para responder à sua pergunta que o Governo pretende reduzir os salários dos seus funcionários e as pensões. Aliás, como sabe, este aumento de impostos é o resultado, pelo menos parcial, de uma decisão do tribunal constitucional. Não fora isso e a receita subiria menos, mas a despesa desceria mais.
    henrique pereira dos santos

  5. vortex diz:

    ‘preso por ter cão, preso por não ter’.

    admiro-me que se considere cidadão.
    por mim pertenço aos 2/3 que são apenas contribuintes.

    existimos para servir o estado
    porque a inversa não é verdadeira

    este devia ser uma entidade prestadora de serviços

  6. caramelo diz:

    Filipe, eu acho que percebes de economia o suficiente para avaliares o estado do país. Basta a economia doméstica, que é como toda a gente avalia. As medidas que foram tomadas até aqui já fizeram estragos irreversíveis no futuro de muita gente; é o que faz normalmente a privação. Já muitos jovens não entraram para o ensino superior, por falta de dinheiro, por exemplo. Mas a ministra diz que estas medidas são estruturais, não conjunturais. Alguma coisa se irá repor, porque todos eles têm coração (e quem negue isto é um sacana), mas não se pense mais em subsídio de desemprego para todos os desempregados, nunca se vão repor muitas outras prestações sociais, ou tantos outros “privilégios” que tínhamos. Vamos ter os funcionários públicos mas mal pagos da Europa (exceptua-se a Bulgária?), os serviços públicos de saúde vão ser dirigidos aos pobrezinhos, psicólogos para as crianças nas escolas é um luxo, ETC. Não vou entrar no lazer, para não provocar urticárias a muita gente. O arremedo de estado social que tínhamos, que tanta impressão faz a tanta gente, tornar-se-á uma memória. Isto não é dramático, porque um país pode perfeitamente ser normal desta maneira. Há uns palermas que fazem palhaçadas na rua e é tudo. Ah, e com o tempo, deixamos de dever dinheiro.

    • fnvv diz:

      “não se pense mais em subsídio de desemprego para todos os desempregados”
      Porquê?
      ( escolhi este exexmplo , ó Cassandra lousanense, mas há mais)

      • caramelo diz:

        Filipe, a percentagem de desempregados sem subsídio de desemprego neste momento é muito grande. Para além de que os subsídios são cada vez menores, e por menos tempo. Os subsídios receberam cortes, exceto nos casos em que ambos os membros do casal estão desempregados. As novas regras para a atribuição de subsídios aos desempregados dos recibos verdes são uma anedota. Para o ano ou daqui a dois, os subsídios aumentarão 10 euros, mais 1% ou 2% de recibos verdes desempregados receberão subsídio e o governo virá dizer que fez um esforço enorme e repetirá que os mais pobres dos pobres terão sempre a sua proteção para poderem comer. É o ar dos tempos, acabou-se o xuxialismo. Não vejo outro discurso. Ou tens alguma informação que eu não tenha? Não sou Cassandra, até te disse que a situação não é dramática. Não exageres tu. Habituamo-nos a uma vida medíocre, é tudo. Responder-me-ás tu, ou alguém, com o seguinte clássico: oh, e os i-phones e as playstations para os miudos? Pois, muita gente não os tem e é frequente que para se ter essa tralha, não se passe férias, e é por isso que ao mesmo tempo que muitos têm isso, somos o povo da Europa que menos faz turismo iinterno e externo. É uma opção que outras classes médias de outros paises não têm de fazer, porque essas maquinetas não se vendem só em Portugal. E que mais é que há, então?

      • fnvv diz:

        Ora, em en la corrida pus-te nos medios:
        Daqui a um ano ou dois vem o PS em coligação ( acordos de incidência parlamentar) com o Bloco e repõe tudo.

      • caramelo diz:

        E é cassandra gandaresa, fáxavor, que eu agora à serra só vou buscar cabritos e mel.

  7. Miguel diz:

    Como tenho, por vezes, o vício da citação e porque tudo isto não se resume a Portugal (embora seja verdade que a presença da troika e o “ir além da troika” seja de exclusiva responsabilidade do outro e seus muchachos), aqui vai uma sugestão para o serão:

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: