Italianos (IV)

Já o trouxe noutras séries ( com o Diário d’Algeria e a sua experiência de prisoneiro na WWII), mas  a um essencialista hermético ( divirto-me com os arquivadores) do calibre de Sereni  volta-se sempre.  Quem não o conhece encontra aqui uma boa iniciação.

Um retrato de uma sociedade distraída ( há muitas…) ,  scooters, futebol , spleen,  em pouquíssimas palavras, retirado de Gli  strumenti umani ( 1965). A abertura é uma vénia à síntese:

L’Italia, una sterminata domenica

Le motorette portano l’estate

il malumore della festa finita.

Sfrecciò vano, ora è poco, l’ultimo pallone

e si perse: ma già

sfavilla la ruota vittoriosa.

E dopo, che fare delle domeniche?

FNV

%d bloggers like this: