O Prof. Espada, ministro-sombra:

“Nesse parágrafo protesta-se contra aquilo que os seus autores chamam de “ desestruturação da cidadania”. Percebe-se que os autores da moção estão a culpabilizar os portugueses (“a sociedade portuguesa”) por não terem bons costumes. E quais são esses maus costumes? Os “direitos sem deveres”, “a preferência pelo relativismo em detrimento dos valores perenes” (seria interessante saber quais), uma “cultura materialista e individualista” (esta é curiosa), a “deriva dos oportunismos à custa do aniquilamento da responsabilidade”, o “culto da gratificação imediata e da consideração de curto prazo em desfavor da reflexão prospectiva”, e, como cereja em cima do bolo, “a apropriação excessiva dos direitos das gerações futuras por parte das actuais gerações”.

Duas notas:

1) Muito deste palavreado himmelfarbiano choca de frente com a prática amiguista do governo que promove pessoas  sem valores perenes excepto  os da sua conta bancária e cultua religiosamente a gratificação imediata, de preferência em notas, em vez de pirarem  como prometeram.

2) No meio do palavreado  há coisas que se aproveitariam se JPP e outros  não estivessem apenas interessados em imitar Fábio Máximo, que  queimava os campos para Aníbal  não comer.

FNV

%d bloggers like this: