No comments ( XXVII)

Como escreveu Rousseau, o homem que pensa é um animal depravado. Quem conhece a obra sabe porquê. Afastamo-nos da condição bestial  mesmo contra o nosso interesse, é um acto de liberdade  inalcançável pelos leões ou pelas zebras.

Telefonei-lhe  e perguntei-lhe sobre uns imbecis que asseguram a progressiva naturalização da pedofilia. Respondeu-me o Jean-Jacques: L’homme est né libre, et partout il est dans les fers.

FNV

%d bloggers like this: