Boião cultural para a direita liberal (1).

joanmiro1

Esta imagem representa uma pin-tu-ra muito bonita de um ar-tis-ta chamado Mi-ró. Não parece, mas é um ga-lo. Os qua-dros do Mi-ró são muito caros. Este foi vendido por dez milhões de euros! Imaginem se estivesse bem pin-ta-do, hihihi!😉 …

Luis M. Jorge

7 thoughts on “Boião cultural para a direita liberal (1).

  1. Miguel A. Baptista diz:

    Eu também fico envergonhado quando vejo discutir se os Mirós devem ou não ficar em Portugal numa lógica de mérito artístico. Sobretudo quando os avaliadores desse mérito artístico tem como expoente máximo da arte o menino da lágrima.

    E dizem que sabem pintar Mirós e Pollocks; “queres ver? isso eu também sei fazer!”

    No entanto a minha opinião é que um estado falido não deve comprar uma colecção de Mirós. Continuando com o teu espírito de boião de cultura deixa-me citar Oscar Wilde.

    “O Estado existe para realizar o que é útil. O indivíduo para realizar o que é belo.”

    Abraço,

    MAB

    • Resta saber se acumular património artístico não é útil a um estado europeu, com economias cada vez mais dependentes do turismo, etc. E uma correcção importante: o nosso estado falido não vai comprar nenhuma colecção, já a possui. Pode é rendibilizá-la de várias maneiras.

      Quanto aos tipos de que falas, enfim. Há quem goste.

      • Miguel A. Baptista diz:

        Deixa-me fazer uma adenda importante: em termos económicos, neste caso, o não-vender ou o comprar é igual.

        E quanto a achar que são estes tipos, ou os maneis pinhos socialistas, que vão rendibilizar os Mirós tenho a maior dúvida.

        Podiam começar por rendibilizar o Museu dos Coches que está concluído e a iniciar o processo de degradação.

      • Não há dinheiro, e tal.

    • caramelo diz:

      Pois, O divino Oscar ia ver os mirós e estátuas de apolo, de preferência, aos salões dos amigos. Não andava às cotoveladas em museus com japoneses de sonys na mão. Do estado, só precisava que lhe calcetassem as ruas para passar com a caleche.

  2. Fernando Cardoso Virgílio Ferreira diz:

    Caro Luís, proponho um leilão inovador para a Christie’s: o de todos os nossos (des)governantes, a efectuar por lotes, já com licença de exportação e com a respectiva condução até ao local da venda em mala diplomática, mas sob a cláusula imperativa de «no refund whatsoever»…
    O Zé Povo ganharia por certo uma pipa de massa com esta operação, de tal modo que, por certo, deixariamos de ter dívida pública soberana e que Portugal passaria a credor da Alemanha…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: